Em 2019, Brasil será o país que mais tributa empresas

França, que hoje lidera o ranking feito pela OCDE, anunciou uma queda na alíquota de imposto sobre o lucro dos atuais 34,4% para 25% até 2022; no Brasil, taxa é de 34% BRASÍLIA – O Brasil vai entrar 2019 no topo da lista dos países com a maior alíquota de imposto sobre o lucro das empresas em todo…

Leia na integra

Refis vai acabar, afirma secretário da Receita Federal

Marcos Cintra prevê que no governo Bolsonaro deverá ser criado um programa de combate ao devedor contumaz. Ano Novo, Vida Nova. Nem por isso melhor. O novo governo promete endurecer o jogo com os devedores contumazes que vivem aderindo a programas especiais de parcelamento de débitos fiscais, os chamados Refis; É o que prevê o secretário…

Leia na integra

5 conselhos para quem quer ficar rico em 2019

Fizemos uma lista dos erros imperdoáveis para quem quer ficar rico neste ano. A maior parte das pessoas que quer ficar rica acredita que precisam ter superpoderes, habilidades especiais ou serem incrivelmente inteligente. Só que não precisa, não. Ao ler esses erros tão comuns e simples você já vai notar que dá para ficar rico em 2019 sem fazer…

Leia na integra

5 pontos essenciais para as empresas se adequarem à última fase do eSocial

A partir de julho de 2019, as empresas brasileiras que faturaram acima de R$ 78 milhões em 2016 precisarão cumprir a quinta e última etapa do eSocial, que promete ser a mais complexa de todo o projeto do governo federal. Os desafios envolvendo as obrigações de Segurança e Saúde no Trabalho (SST) são grandes, segundo Sáttila Silva,…

Leia na integra

Simples Nacional 2019: Adesão e sublimites

A sua empresa pretende aderir ou continuar no Simples Nacional em 2019? Fique atento às regras e sublimites para fins de recolhimento do ICMS e ISS Leia mais em https://www.contabeis.com.br/noticias/39190/simples-nacional-2019-adesao-e-sublimites/ Source: noticias02

Leia na integra

Governo Bolsonaro terá de negociar desmantelamento de programas fiscais

A partir de quinta-feira (10/1), começa a correr o prazo de 45 dias para que Brasil, União Europeia (UE) e Japão estabeleçam um cronograma para a retirada dos incentivos fiscais concedidos às empresas brasileiras e condenados pela OMC Source Source: noticias4

Leia na integra